Um Projeto: Fundação Estudar
Dicas para entrar em Harvard

Como é o ‘vestibular’ para entrar em Harvard? Veja o vídeo!

Por Gustavo Sumares
20.12.2018

Entrar em uma universidade nos Estados Unidos é um processo bem diferente do que no Brasil. Neste vídeo, um estudante brasileiro em Harvard explica as diferenças


No Brasil, o processo para se ingressar em uma universidade é relativamente simples: você escolhe o curso, presta o vestibular (ou usa sua nota do ENEM) e espera o resultado.

Mas nos Estados Unidos, o processo é bem diferente! Além de considerar a sua nota em uma prova, as universidades levam em consideração uma série de outros fatores. E, entre eles, há alguns que podem surpreender quem está acostumado com o processo brasileiro.

Por exemplo: sabia que para entrar em Harvard, ser um atleta de destaque ou músico de grande habilidade podem ser diferenciais importantes, mesmo que o seu curso não esteja diretamente relacionado a essas áreas?

Isso pode parecer curioso, mas faz todo sentido para os processos de admissão das universidades dos EUA. Porque lá, os responsáveis pelo processo de admissão de alunos não levam em conta apenas onde os estudantes estão no momento em que se candidatam, mas como chegaram até lá, com todo seu contexto e história.

Quer saber mais sobre as diferenças entre a candidatura em Harvard e os vestibulares no Brasil? Assista ao vídeo com Pedro Farias, que está em seu terceiro ano em Harvard:

Por já estar em seu terceiro ano em Harvard, Pedro já se acostumou bastante ao clima da universidade. E nesse processo, percebeu que alguns dos “mitos” sobre a universidade são só mitos mesmo. Por exemplo: a ideia de que todo mundo que está lá é um gênio e que, por isso, há muita competitividade.

Na visão dele, os alunos que estão lá são, de fato, talentosos. No entanto, a maioria entende que a única maneira de chegar ao seu melhor é trabalhando com os outros, o que gera um ambiente de bastante colaboração. Além disso, os talentos de cada aluno são mais complementares do que concorrentes entre si.

Em vez de gerar competição, isso acaba criando um espaço de diversidade e desenvolvimento. E o fato de que a universidade tem uma grande quantidade e variedade de recursos de aprendizado também ajuda. Assim, cada aluno sabe que pode se aprofundar naquilo que mais lhe interessa.

Quer saber mais sobre esse aspecto de Harvard? Confira abaixo outro vídeo:

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d