Um Projeto: Fundação Estudar
bolsas para jornalismo

5 bolsas e programas remunerados de jornalismo nos EUA e Europa

Por Gustavo Sumares
20.12.2018

Instituições como o jornal alemão Deutsche Welle e a International Woman's Media Foundation oferecem bolsas e programas de treinamento remunerado


Na era da pós-verdade e das fake news, jornalismo é mais importante do que nunca. E há diversas instituições no mundo reconhecendo essa importância e oferecendo bolsas e programas remunerados de treinamento em jornalismo. Abaixo, listamos cinco das oportunidades desse tipo que estão com inscrições abertas até o começo de 2019. E uma delas, além disso, não exige experiência prévia na área; exige apenas um interesse em descobrir e contar histórias ainda não contadas.

Todas elas estão com as inscrições abertas, e o período de inscrição delas vai até, pelo menos, o começo de janeiro. Isso significa que ainda dá tempo de organizar os documentos e se inscrever! Os requisitos para cada uma das oportunidades, no entanto, variam bastante. Confira!

Programa Internacional de Trainees de Jornalismo do Deutsche Welle

O jornal alemão Deutsche Welle está recebendo inscrições para seu programa de trainee internacional. O programa dura 18 meses e começa em setembro de 2019. Ao longo dele, os trainees ficam na redação do jornal adquirindo habilidades como narrativas multimídia, jornalismo de dados e redes sociais. Eles participam de projetos dirigidos pela redação em cooperaçãoo com os correspondentes do jornal em Bruxelas, Moscow e Washington, recebendo um salário por seu trabalho. Para se inscrever, é preciso já ter concluído o ensino superior, ter publicado algum material jornalístico e saber falar inglês e alemão. As inscrições vão até 11 de janeiro, e você pode se inscrever por aqui.

 

Dart Center Ochberg Fellowship 2019 para jornalistas do mundo todo

O programa Ochberg de bolsas de estudo do Dart Center é voltado para jornalistas que cobrem temas como criminalidade, violência, conflitos armados ou desastres naturais. Os bolsistas terão acesso a um programa de uma semana de seminários, encontros e aulas na Universidade de Columbia com especialistas interdisciplinares que falam sobre traumas e saúde mental. Além disso, entrarão em contato entre si, e um dos critérios de avaliação para os inscritos é que a experiência dele no campo possa ser compartilhada entre os outros participantes. Além disso, é preciso comprovar pelo menos cinco anos de experiência como jornalista e ser fluente em inglês. Inscrições por aqui até o dia 6 de fevereiro.

IWMF Kim Wall Memorial Fund para mulheres jornalistas 2019

O Kim Wall Memorial Fund é um fundo criado para homenagear a jornalista sueca Kim Wall, assassinada em exercício da função em 2017. Ele oferece uma bolsa de US$ 5.000 para jornalistas mulheres com pelo menos três anos de experiência. O intuito da bolsa é cobrir custos referentes à realização de uma reportagem, em meio não especificado, relacionada aos temas que Wall cobria, que incluem “culturas marginais” e “as subcorrentes da rebelião”. É necessário falar inglês para poder se inscrever e a inscrição pode ser feita até o dia 4 de janeiro por aqui.

Programa de bolsistas New America 2020

As bolsas da New America são voltadas para “pensadores — jornalistas, acadêmicos, cinegrafistas e analistas de políticas públicas — que geram ideias grandes e ousadas”. Se você se sente contemplado pela descrição, pode se inscrever para receber uma bolsa de US$ 15.000 a US$ 30.000 voltada para o desenvolvimento de algum projeto. Esse projeto pode ser desde uma reportagem até uma pesquisa, livro ou documentário. Como o processo de inscrição é em inglês, é preciso ter um bom domínio da língua para se inscrever. Fora isso, a bolsa contempla um grande espectro de ideias diferentes. Clique aqui para começar o processo de inscrição, que fica aberto até 1 de fevereiro.

Bolsa de jornalismo University of Oxford Reuters Institute 2019

Esse programa de bolsas oferece a jornalistas ativos a oportunidade de pesquisar um tema de sua escolha sob a orientação de um jornalista de longa data ou pesquisador da Universidade de Oxford. Além desse trabalho, os bolsistas também têm acesso à infraestrutura da universidade, visitam as redações de jornais renomados como o Guardian e a BBC, e trocam experiências com os outros cerca de 25 bolsistas do mundo todo. Todos os custos relacionados ao deslocamento e mantimento dos bolsistas são pagos pelas instituições. É necessário ter conhecimento comprovado em inglês e ao menos cinco anos de experiência no ramo. A inscrição é feita por meio de um formulário online, que pode ser acessado aqui, até 11 de fevereiro.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d