Um projeto: Fundação Estudar

Intercâmbio

O que você precisa saber para ter uma experiência de estudos em outro país

08.09.15

Após ser negado por colégio, jovem cursa ensino médio em Israel

Após ser negado por colégio, jovem cursa ensino médio em Israel

Rodrigo Ferreira, de 17 anos, estuda no EMIS, escola cuja missão é fazer da educação uma arma para promover a paz no Oriente Médio. Conheça sua história!

Por Rodrigo Ferreira

Há um ano, decidi me mudar do Brasil para Israel em busca de sonho. Após viajar mais de 30 horas de Salvador para Tel Aviv, parando em São Paulo, Togo e Etiópia, finalmente cheguei na “Terra Santa”. Após deixar o aeroporto às 5h30 da manhã, eu vi o sol em Israel pela primeira vez. Pela manhã, fui à praia em Tel Aviv e vi o Mar Mediterrâneo. Senti uma emoção tão intensa que meu coração batia aceleradamente. Sentia alegria de ter realizado um sonho e satisfação de ter tamanha oportunidade.

Em 2013, decidi participar do processo seletivo do United World Colleges. Infelizmente, em março de 2014, recebi um “não” do comitê brasileiro. Fiquei bastante decepcionado (…) Contudo, não desisti.

O nome da oportunidade? EMIS – Eastern Mediterranean International School, uma escola cuja missão é fazer da educação uma força para promover a paz no Oriente Médio. Localizada no norte de Tel Aviv, EMIS foi criada pelo ex-aluno do UWC (United World Colleges) Oded Rose. Ele teve uma experiência marcante ao estudar no UWC no Canadá e decidiu criar uma escola internacional aqui em Israel. No EMIS, estudantes de mais de trinta países têm a oportunidade de compartilhar suas cultures, línguas e experiências.

Como vim parar em Israel? –  Em outubro de 2013, decidi participar do processo seletivo do United World Colleges. Infelizmente, em março de 2014, recebi um “não” do comitê brasileiro. Fiquei bastante decepcionado, pois sonhei demais com essa oportunidade. Contudo, não desisti.

Decidi me inscrever para o Yale Young Global Scholars (YYGS), um programa de verão maravilhoso organizado pela Universidade Yale, nos EUA. Queria conhecer pessoas diferentes que poderiam me ensinar sobre suas culturas, línguas e costumes. Queria poder entender melhor como o mundo funciona, desde as relações entre pessoas até as relações entre países. Por isso, optei pela sessão “Studies in Grand Strategy”, que é mais relacionada à Relações Internacionais e Segurança Global.

Não sabia muito sobre Israel. Há dois anos, eu via Israel como ‘o lugar que só vive em guerra’

Após ter sido aprovado no YYGS, passei a acreditar mais no meu potencial. Durante uma das minhas noites em claro estudando, recebi uma mensagem sobre essa escola internacional que seria criada em Israel. Decidi, então, ligar para a escola para saber se era verdade e entender melhor como funcionaria. Após confirmar que a escola realmente seria criada, decidi me inscrever. Não sabia muito sobre Israel. Há dois anos, eu via Israel como “o lugar que só vive em guerra”. Depois de algumas entrevistas, recebi o resultado da minha aprovação no EMIS.

Conversei com amigos e familiares e muitos não acharam a ideia muito boa. Porém, minha mãe me incentivou muito a persistir, mesmo diante de tantas pessoas que achavam que eu não deveria vir.

Hoje, sei que está valendo tudo muito a pena. Completo um ano sem ver pessoalmente uma das pessoas mais importantes da minha vida: minha mãe. Mas tenho certeza que ela está muito orgulhosa de mim e eu estou sempre muito orgulhoso de tê-la como mãe. Na hora do choro, tenho amigos de todas as partes do mundo para me abraçar e me acolher. Na hora da fome, tenho amigos muito especiais que sabem cozinhar comidas deliciosas dos lugares que eles nasceram. Apesar das saudades de casa, acredito que a experiência está sendo muito marcante. Cresci muito como pessoa e, no futuro, darei o meu melhor para proporcionar experiências similares para outros jovens brasileiros. Acredito no poder da educação como uma ferramenta para proporcionar aproximação entre indivíduos, desenvolvimento social e pensamento crítico.

_____________________________________________________________________

O soteropolitano Rodrigo Ferreira estudou no Colégio Militar de Salvador. Após ficar em primeiro lugar na Olimpíada Brasileira de Química Júnior, mudou-se para Fortaleza para estudar no Colégio Ari de Sá Cavalcante com o apoio da Primeira Chance. Apaixonado por química, faz pesquisa no Grupo de Pesquisa do Dr. Roey Amir, no Departamento de Química Orgânica da Universidade de Tel Aviv. Desde setembro de 2014, estuda na Eastern Mediterranean International School, localizada no norte de Tel Aviv, Israel.

Leia também:
Jovem conta como é cursar o ensino médio na Índia
Meu ensino médio na Índia: visitas a templos e ao ‘falso Taj Mahal’
Meu ensino médio na Índia: entre buzinas, tempestades e vacas

Conecte-se ao Estudar Fora

Leia Mais

estagiários da Microsoft comemorando
impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT