Um Projeto: Fundação Estudar
voluntariado na palestina

Programa de estágio voluntário na Palestina está com inscrições abertas

Por Priscila Bellini

Estão abertas as inscrições para o programa de voluntariado na Palestina organizado pela FFIPP-Brasil (Rede Educacional pelos Direitos Humanos em Palestina/Israel). O programa, que leva jovens brasileiros para estágio em organizações em Israel e nos Territórios Palestinos Ocupados, recebe inscrições até dia 28 de julho.

A ideia da iniciativa é expor os participantes a discussões sobre o conflito palestino-israelense e, ainda, oferecer oportunidades de estágio em diversas áreas de interesse. Ao todo, a FFIPP-Brasil, organização presente também na Europa e nos Estados Unidos, já levou 114 brasileiros à região para estágios pelo período de um mês.

Durante o programa, os participantes trabalham com ONGs ligadas a advocacy e direitos humanos, sejam os direitos das mulheres, sejam os da população LGBT. A FFIPP, a partir da análise do currículo e dos interesses de cada participante, encaminha cada um a uma das instituições. Na lista de parceiros, estão a al-Qaws for Sexual & Gender Diversity in Palestinian Society, a Stop the Wall e o Israeli Committee Against House Demolitions.

Como funciona o estágio na região

A sul-mato-grossense Patricia Pereira da Silva trabalhou, na edição passada do programa, na Jordan Valley Solidarity, localizada no Vale do Jordão. Pesquisadora em direitos humanos e questões de terras, ela se interessou pela possibilidade de conhecer de perto uma organização palestina. “A rede de contatos com a qual os participantes entram em contato durante o programa é um plus para quem atua como pesquisador ou ativista das questões que envolvem a região”, explica a brasileira, que fez parte do voluntariado na Palestina em 2017.

As atribuições dadas aos jovens durante o mês de estágio dependem da área de atuação da ONG. “Nossas atribuições iam desde divulgar as diversas violações de direitos que ocorrem na região, até plantar oliveiras e levantar tendas para famílias que tiveram suas casas demolidas”, exemplifica Patricia. As atividades também variam de acordo com o perfil do participante e do que ele deseja obter com a experiência fora.

Por trás da iniciativa, está um objetivo maior: de promover um debate sobre o conflito na região, tomando contato com diferentes atores. A experiência com a questão palestina, como destacam os organizadores, portanto, não se limita ao intercâmbio. Muitos dos participantes, ao retornar ao Brasil, se aprofundam no tema e acabam se engajando em outras atividades relacionadas – ligadas à ONG ou não. Dessa forma, o estudante faz parte de uma rede maior de pessoas que se opõem às violações de direitos humanos na região.

Para possibilitar um entendimento mais completo, além do período de voluntariado, o programa separa os 10 primeiros dias para atividades como palestras, tours e conversas com membros da sociedade civil no território israelense e na Palestina Ocupada.

Seleção para o voluntariado na Palestina

Até dia 28 de julho, a FFIPP recebe candidaturas de jovens maiores de 18 anos e com bom nível de conversação em inglês. Na primeira etapa da seleção, é necessário preencher um formulário, enviar o currículo em língua inglesa e pagar a taxa de inscrição, de 35 reais.

Em seguida, os pré-selecionados participam de entrevistas em português e inglês e são convocados para um fim de semana de preparação para o voluntariado.

O valor do programa é de 1700 dólares e os gastos pessoais também ficam a cargo do candidato. O valor do programa em si cobre as palestras oferecidas com organizações da sociedade civil, hospedagem, transporte e alimentação na Semana de Orientação, além da moradia durante o período de trabalho.

Ainda é necessário arcar com o valor das passagens aéreas de ida e volta, que chega a 1200 dólares, além de um seguro pessoal para o período de um mês.

Saiba mais no site da FFIPP.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo