Um Projeto: Fundação Estudar
Trabalho Voluntário

Vale a pena se dedicar a trabalho voluntário durante o intercâmbio?

Por Colunista do Estudar Fora

Estudar fora do pais de origem, seja por alguns meses ou anos, além de ser uma boa experiência de vida e oportunidade de obter conhecimentos acadêmicos, pode ser também uma forma de adquirir competências pessoais e profissionais. O Trabalho Voluntário durante o intercâmbio é uma destas formas – e é possível aproveitar as chances que os Programas de Intercâmbio Acadêmico proporcionam, ou mesmo embarcar nesta jornada por conta própria.

Para você que está aproveitando a oportunidade de estudar fora ou que pretende fazê-lo, o voluntariado pode ser:

  • Uma forma de integração ao novo ambiente;
  • Uma oportunidade de desenvolvimento de competências pessoais, profissionais, e de adquirir conhecimentos além dos conteúdos acadêmicos;
  • E uma oportunidade de enriquecimento do currículo, abrindo portas para o mercado de trabalho na volta.

Por que fazer trabalho voluntário durante o intercâmbio?

Desde que cheguei em Portugal, em outubro de 2015, inscrevi-me no Grupo de Voluntariado da Universidade e participei de algumas atividades como o UAlg V+. As conquistas que tive com esta participação foram tanto a nível pessoal quanto profissional.

Por isso, vou responder a esta pergunta partindo da minha experiencia, aqui em Faro, sul de Portugal. Quando você chega em um novo local – neste caso, uma nova universidade – o desejo de aprender coisas novas torna-se bem evidente. Ao fazer parte de um Grupo de Voluntariado, você vai conhecer uma diversidade de pessoas com os mais diferentes costumes, crenças, culturas, formas de pensar, de agir e todos estes fatores devem ser respeitados e integrados de uma maneira saudável. Pode acontecer, também, uma participação em projetos específicos, que gera outros aprendizados e o sentimento de dever cumprido. Cresce-se, muito, como ser humano e como profissional.

Uma lição que tive no Voluntariado, é que o fato de não ser remunerado não significa que seja uma via de mão única; ou seja – em todos os momentos, todos ganham, tanto o estudante quanto a comunidade. Como voluntária, sei que os ganhos destes são infinitamente maiores – seja no afeto e gratidão que se recebe dos beneficiados, seja no respeito e na confiança depositados pelos responsáveis pelo Grupo no trabalho que o voluntário realiza. Além disso, neste grupo você poderá diminuir o fato de estar longe da família e dos amigos, pois a integração e o acolhimento são dois fatores preponderantes.

Benefícios ao se retornar

Outro ponto importante do trabalho voluntário é que, mesmo trabalhando com o foco “no outro”, também podemos nos aperfeiçoar na área de trabalho com a qual nos identificamos – ou mesmo descobrir outra, através da descoberta e dedicação a novas causas. É possível, inclusive, abrir portas para o mercado de trabalho, pois em muitas empresas e até mesmo cursos de pós-graduação o voluntariado é utilizado como critério de seleção.

Enfim, acredito que ficou claro o quanto o trabalho voluntário durante o intercâmbio pode ser importante para a vida de um estudante fora do seu país de origem – assim como, este estudante pode ser importante para tantas pessoas e instituições através do mesmo trabalho. Basta ter vontade e “colocar as mãos na massa”, com coração e o espírito abertos para aprender.

 

 

Sobre a autora

Maria Aparecida dos Santos, é Escritora, Pedagoga, e acadêmica de Mestrado em Ciências da Educação e da Formação, na Faculdade de Ciências Humanas e Sociais – FCHS, da Universidade do Algarve. É membro voluntária do Núcleo de Alunos Brasileiros da Universidade do Algarve (NUBRA), da Associação de Estudantes Brasileiros no Exterior (BRASA) e voluntária inscrita no Grupo de Voluntariado UAlg V+.

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo