Um projeto: Fundação Estudar

Colunistas

Orientação de especialistas e experiências de estudantes para te ajudar a chegar lá

30.09.13

Sem fronteiras: Bolsas de intercâmbio para os Estados Unidos

Sem fronteiras: Bolsas de intercâmbio para os Estados Unidos

Experiência em novas culturas e amigos do mundo todo fazem parte do programa Global Citizens of Tomorrow. Curioso? Conheça mais na coluna de Lucas Hackradt

Por Lucas Hackradt, especialista em Aprendizagem Intercultural 

Esta semana resolvi fazer um pouco de autopromoção. Mas é por uma excelente causa. Não é segredo, pois está ali embaixo no meu perfil, mas para quem ainda não sabe, eu trabalho para uma Organização Não-Governamental chamada AFS Intercultura Brasil. O AFS, presente hoje em mais de 100 países em todo o mundo, é uma instituição de educação intercultural que, entre outros, organiza intercâmbios para os mais diversos países do mundo a fim de promover o diálogo intercultural e formar cidadãos globais.

Bem, no ano passado, a empresa petrolífera BP e nós do AFS firmamos uma parceria para oferecer, até 2016, 50 bolsas de estudos integrais para alunos da rede pública ou bolsistas integrais de escolas particulares do Brasil cursarem um ano letivo nos Estados Unidos.

O programa se chama Global Citizens of Tomorrow, e já contemplou vinte estudantes – mais 12 serão selecionados em 2013 para viajar em agosto de 2014. As inscrições já estão abertas e se estendem até 14 de outubro no site: www.afsbolsasusa.org.br.

Foto bolsista BP

“Além de ser bom para meu currículo, a experiência intercultural me proporcionou a oportunidade de vivenciar novas culturas e fazer amigos do mundo todo”, diz Julia Massing

Como eu já venho escrevendo há algumas semanas aqui no Estudar Fora, a importância de se educar verdadeiros cidadãos globais no mundo de hoje vem ganhando destaque na área da pedagogia em todo o mundo. Há algumas organizações hoje absolutamente comprometidas com a questão da educação intercultural. A própria Organização das Nações Unidas (ONU) lançou recentemente uma Iniciativa Global para a promoção da Educação em Primeiro Lugar, dando foco especial à formação de cidadãos globais preocupados com questões mundiais. Agora, o AFS junto à BP faz mais um investimento nessa área.

Focando na formação de cidadãos globais, o programa busca munir jovens com as competências interculturais necessárias para se entender e viver no mundo globalizado de hoje. “Essa experiência abriu meus olhos para o mundo, me fez aceitar novas culturas, pessoas diferentes de mim e de todos os cantos do mundo”, conta a estudante Julia Massing, participante do programa. Logo se vê que não é à toa que o projeto ganhou o nome de Global Citizens of Tomorrow.

Para participar da seleção, o candidato deve estar cursando o Ensino Médio em escola pública ou como bolsista integral de escola particular, ter renda familiar de até seis salários mínimos, apresentar excelente desempenho escolar (com notas acima de 8), não pode ser repetente e nem estar cursando o último ano no momento da inscrição e deve possuir nível de inglês intermediário ou avançado.

Se você se enquadra no perfil ou conhece alguém que se enquadre, é só acessar o site e se inscrever.

_____________________________________________________________________

Lucas Hackradt – Colunista sobre a aprendizagem em experiências de intercâmbio

190011_10150173190105605_7563302_n (2)Sou formado em Comunicação Social, mas trabalho na área de educação intercultural desde 2007, quando me tornei voluntário do AFS Intercultura Brasil. Trabalhei na Globo, GloboNews e na Editora Globo como repórter da Revista ÉPOCA, e desde março deste ano integro o quadro de funcionários do AFS no Brasil como Especialista em Aprendizagem Intercultural, ligado à área de Desenvolvimento Organizacional da ONG. Já passei por diversos treinamentos e capacitações na área de educação intercultural, gerenciamento de conflitos culturais e estudos de comunicação intercultural. Já morei em quatro países, o mais recente dos quais Moçambique, na África, aonde desenvolvi projetos de desenvolvimento social sempre atrelados à questão da Interculturalidade. Me guio por uma frase simples: no mundo, nada é pior, nada é melhor, tudo é simplesmente diferente. E ser diferente é legal!

180734_498806906331_909606_nA coluna do Lucas Hackradt é realizada em parceria com a AFS Intercultura Brasil, uma organização de educação intercultural que organiza intercâmbios em diversos países com a finalidade de incentivar o diálogo intercultural e formar cidadãos globais, promovendo a paz. Conheça mais AQUI.

Conecte-se ao Estudar Fora

Prep Course

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas