Um projeto: Fundação Estudar

Intercâmbio

O que você precisa saber para ter uma experiência de estudos em outro país

13.11.13

Por que estudar inglês na Austrália?

estudar inglês na Austrália

Clima parecido com o brasileiro, 2º lugar em IDH e permissão de trabalho atraem até 15 mil brasileiros por ano

A ilha da Oceania é hoje o 5º país mais procurado por estudantes (atrás de Canadá, Estados Unidos, Reino Unido e Irlanda) que desejam passar uma temporada no exterior para melhorar o inglês. A Austrália oferece uma variedade diversificada de opções de estudo para estudantes estrangeiros, com mais de 1.200 instituições e 22 mil cursos.

O governo garante a qualidade do ensino com base na Lei dos Serviços Educacionais para Estudantes Estrangeiros e o Código Nacional de Boas Práticas para as Autoridades de Registro e Prestadores de Educação e Formação para Estudantes Estrangeiros. Ambos fornecem padrões nacionalmente homogêneos para provedores de educação e formação para estudantes estrangeiros.

Para escolher seu curso e instituição de ensino, procure os que estão inscritos no Registro de Instituições e Cursos para Estudantes Estrangeiros da Comunidade da Austrália (CRICOS). O registro CRICOS garante que o curso e a instituição em que você estudar atendam aos altos padrões de qualidade.

É possível entrar em contato diretamente com a instituição ou procurar uma agência. Neste caso, certifique-se que a agência tem consultores cadastrados no Qualified Education Agent Counselor, do governo australiano, e que ela seja certificada pela International Air Transport Association (Iata).

Por que estudar lá

Mas por que entre 10 mil e 15 mil brasileiros buscam a Austrália anualmente? “O que mais atrai é a qualidade de vida e o clima parecido com o Brasil”, diz Vinícius Barreto, diretor da agência Australian Centre, uma das fundadoras da Associação Brasileira das Empresas Especialistas em Intercâmbio para Oceania (Abraseeio). A Austrália é o segundo país no ranking mundial de desenvolvimento humano, atrás apenas da Noruega.

Além disso, lá o estudante pode trabalhar, desde que esteja matriculado num curso. São 40 horas semanais durante as aulas até um número ilimitado de horas no período de férias. Para os casados, é possível levar o parceiro.

Quem tem inglês básico e quer voltar com um nível avançado, o recomendável é uma estadia de um ano. Neste caso, o valor pode chegar a R$ 40 mil. Atualmente o pacote mais popular, de seis meses, sai pela metade. Se você quer conviver com menos brasileiros, o destino é a capital, Adelaide. Sydney é a cidade com o maior número de conterrâneos. E atenção com o visto! “É melhor solicitá-lo com, pelo menos, dois meses antes da data de embarque”, diz Barreto.

Conecte-se ao Estudar Fora

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas