Um Projeto: Fundação Estudar
tudo sobre personal statement

Tudo que você precisa saber sobre o personal statement

Por Giana Andonini
02.06.2018

No processo seletivo para graduação e pós no exterior, texto é presença garantida. O personal statement serve como apresentação do candidato à universidade estrangeira. Confira tudo que precisa saber para elaborar o seu!


Expressão comum nas candidaturas para estudo no exterior, o personal statement (ou, em tradução livre, o “ensaio pessoal”) pode ser descrito como o coração da application. Em termos práticos, trata-se do primeiro texto a ser lido pelo comitê de admissão, que serve como forma de apresentação do candidato.

Para os interessados na graduação, o texto é solicitado na Common App, que fornece ao estudante cinco guias de orientação sobre como escrever seu personal statement. Em resumo, esses guias apresentam perguntas que ajudam cada aluno a refletir sobre momentos determinantes de sua vida. Ou seja, ocasiões que impactaram sua trajetória e que poderiam ser usadas na redação.

Como fazer um bom personal statement para graduação

A chave por trás da resposta está na capacidade de contar uma boa história. O estudante conta com cerca de 500 palavras para resumir um aspecto de sua vida e de como sua presença na universidade estrangeira seria valiosa. O objetivo é que essa primeira leitura sobre o estudante cause a melhor impressão e que seja mais pessoal.

Antes de elaborar o texto, vale ter em mente alguns aspectos importantes. Primeiramente, que esse não será o único material encaminhado na application para universidades de fora. Ou seja, também entram na lista itens como cartas de recomendação, bem como currículo com detalhes profissionais e acadêmicos.

Junte-se a isso a série de informações enviadas às instituições, como o histórico acadêmico e resultado obtido em testes padronizados. Ou, em outras palavras: o aluno terá várias etapas para demonstrar aspectos de sua trajetória e personalidade, e não só o personal statement.

Para saber escrevê-lo, entretanto, não há uma fórmula exata. Um bom texto reflete quem o candidato é e seus atrativos para a instituição de ensino, com uma redação clara e concisa.

Saiba como elaborar o personal statement para graduação

Nas palavras da especialista Laila Parada-Worby, essa é a parte mais criativa do processo de application – e que, entretanto, não tem equivalente na admissão para universidades brasileiras. Enquanto o SAT, por exemplo, pode ser comparado ao ENEM (Exame Nacional de Ensino Médio), o personal statement segue uma fórmula típica das instituições no exterior.

“Mesmo que a escrita não seja seu ponto forte, todos nós temos uma história interessante para contar”, explica Laila, no Prep Course do Estudar Fora.

Dicas para fazer um personal statement excelente

Algumas indicações valem tanto para as candidaturas à graduação quanto para a pós-graduação no exterior. Ainda que se trate de uma etapa criativa, por exemplo, não significa que o personal statement não exija grande tempo de dedicação e trabalho. Por trás de uma versão final interessante, estão horas de reflexão e muitas correções.

Na hora agá, esforce-se para contar uma história relevante em sua trajetória e que conte um “algo a mais” que atraia os olhares do comitê de admissão. Para ajudar nesse processo, conheça oito dicas essenciais:

#1 Comece com a ideia central por trás do seu texto

O personal statement é onde o candidato pode demonstrar quem é e contar mais de sua personalidade, de seus sonhos e das ideias que segue. Cada aluno decide por si mesmo quais ideias passarão essa mensagem aos leitores, o que ajudará sua candidatura a se destacar das demais e como usar essa ideia em seu favor.

#2 Mostre seus pontos fortes

Aqui, deve-se seguir a regra à risca: nenhum dos avaliadores vai acreditar em você, a não ser que demonstre os resultados de suas ações. Por exemplo, se disser que é um líder, demonstre isso com suas histórias de vida.

#3 Nunca esconda suas conquistas

Muitos candidatos esquecem que uma conquista diz mais do que todas as palavras. Se participou de conferências, venceu algum prêmio ou conseguiu grants, se liderou algum grupo ou organização, pode mencionar isso no seu texto.

#4 Aposte na coerência ao escrever um personal statement

É claro, há muitos detalhes que um estudante pode incluir no texto que vai apresentá-lo as universidades. Entretanto, isso não significa que se deva adicioná-los aleatoriamente. Uma boa redação deve ser coerente e clara, e todos os aspectos apresentados devem estar bem conectados uns aos outros.

#5 Não se esqueça da revisão e da edição

Erros bobos podem destruir mesmo o melhor dos textos. Para não perder a chance de entrar na universidade dos sonhos porque esqueceu alguns artigos ou preposições, o que vale é apostar na revisão.

#6 Procure recomendações

Ou seja, recorra a alunos e ex-alunos da instituição de ensino em redes sociais, como Facebook e LinkedIn. É a chance de perguntar de forma direta o que eles opinam sobre o que o comitê de admissão busca nas applications.

#7 Mostre detalhes que falem por você

Os detalhes tornam a história mais completa. Quando exibir seus pontos fortes e escrever sobre suas conquistas, não se esqueça de fornecer informações extras, que garantirão mais destaque ao que foi contado.

#8 Tente manter o texto conciso

O ponto é: você só pode usar uma página ou duas para escrever um personal statement, e não há espaço suficiente para dizer tudo que gostaria de contar sobre si mesmo. Então, prepare-se para fazer da edição sua maior aliada.

Quer saber o que brasileiros escrevem em seus texto de apresentação à universidade? Confira o texto submetido por Gustavo Torres, admitido em Stanford e em Harvard para a graduação. A baiana Georgia Gabriela, admitida por nove universidades americanas, também disponibilizou seu essay.

Como fazer um bom personal statement para pós-graduação

Assim como o processo de admissão da graduação, o sistema para pós no exterior é holístico. Ao admission office, chegam documentos do estudante como histórico acadêmico e resultados em exames como GMAT e GRE. E, além disso, o personal statement (também chamado de “statement of purpose” por algumas instituições) de cada aluno em potencial.


A forma mais direta de descrever o texto, nesse caso, é como um “currículo discursivo”. Ou seja, entram na redação suas experiências acadêmicas, extracurriculares e profissionais mais importantes e que conduziram o candidato ao lugar em que está. Também é importante destacar os objetivos que pretende atingir com o programa pleiteado.

Como elaborar esse ensaio

Agora, além de expor ao comitê de admissão uma ocasião importante ou traço de personalidade determinante, é a vez de contar toda uma trajetória. Em vez de listar as informações do currículo de forma direta, cabe ao estudante conectar os pontos em sua application, bem como suas decisões principais e conquistas.

Confira um passo a passo para ajudar nesse processo. Além de seguir tais etapas, vale estar atento aos erros principais cometidos por brasileiros: por exemplo, ser genérico ou modesto demais ao longo do texto.

#1 Faça um brainstorming

Escreva tudo que aconteceu de importante na sua vida nos últimos anos e que contribuíram para o seu crescimento. Pense também sobre os seus pontos fortes. Deixe as ideias fluírem livremente e, inicialmente, não se preocupe com o tamanho do texto.

#2 Escreva o primeiro rascunho do texto

O personal statement deve ser dividido de forma simples. Primeiramente, uma introdução que resume valores pessoais e conquistas. Depois, no início do corpo do texto, é a vez de falar sobre conquistas acadêmicas. Em seguida, da trajetória profissional e pontos importantes da carreira.

Também é importante, afinal, descrever a forma como o programa de pós-graduação escolhido contribuirá para o desenvolvimento do estudante. Por fim, na conclusão, é necessário apresentar quais são os objetivos pessoais e profissionais pretendidos, após a conclusão do curso.

#3 Peça feedback

É o momento de consultar pessoas que o conheçam bem e saibam de seus planos de carreira, como amigos e professores. Nesse momento, deve-se perguntar se o texto reflete, de fato, quem é o candidato. Se necessário, é possível contratar ajuda profissional para fazer tal revisão.

#4 Faça correções e revise

Uma leitura atenta do texto é essencial, para evitar erros de digitação, ortografia ou gramática. É interessante, ainda, pedir a outra pessoa que faça esse processo – de preferência, alguém que seja fluente em inglês.

Quer ter acesso a um exemplo de personal statement antes de fazer o seu? Baixe o texto que garantiu ao brasileiro Dan Zylberglejd uma vaga no mestrado em Stanford.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d