Um projeto: Fundação Estudar

Graduação

O que você precisa saber para cursar uma graduação fora do Brasil

23.01.15

O que NÃO fazer ao se candidatar a uma universidade do exterior

O que NÃO fazer ao se candidatar a uma universidade do exterior

Veja três atitudes que são mal vistas no processo de admissão!

Ao longo do processo de application (candidatura) a universidades do exterior, é importante demonstrar que você está bastante interessado na escola e que tem o perfil ideal. Há, no entanto, diversas formas de se fazer isso e alguns candidatos, na tentativa de convencer os admissions officers (profissionais responsáveis pela seleção) que devem ser aprovados, acabam exagerando e sendo inconvenientes. O site About.com listou atitudes que podem jogar contra você durante a seleção. Veja a seguir três delas:

1. Enviar material que não foi pedido

Algumas universidades autorizam os candidatos a enviar materiais complementares que possam auxiliar a instituição a conhecê-los melhor. Isso costuma acontecer principalmente nas faculdades de artes liberais (liberal arts colleges). Se a universidade que você quer permitir isso, fique à vontade para enviar aquele poema, um vídeo que demontre suas habilidades artísticas ou atléticas…

Agora, se estiver especificado no guia da faculdade que não serão considerados materiais adicionais, não ouse enviar nada além do que foi pedido. Por mais que você acredite que uma carta extra de recomendação pode ser interessante, resista à tentação. Isso só irá sobrecarregar os já atarefados admissions officers! Você pode acreditar que está dizendo à universidade: “Vejam só, como eu sou interesse”, quando, na verdade, só estará mostrando que não sabe seguir regras.

2. Fazer perguntas cujas respostas estão disponíveis na internet 

Alguns estudantes ficam desesperados para falar com os admissions officers que não pensam duas vezes antes de pegar o telefone e ligar para a escola, mesmo que não tenham nada de relevante para perguntar. Obviamente, se você tiver uma dúvida importante e cuja resposta não esteja no site da instituição, não há problema em fazer isso. Mas, em hipótese alguma, ligue para a universidade para perguntar coisas que encontraria facilmente buscando na internet. Por exemplo: se a escola tem um time de futebol, se fornece bolsas de estudo, qual o seu tamanho e quantos estudantes vivem no campus. Isso vale também para mandar e-mails: pense duas vezes (e pesquise) antes de enviar.

3. Candidatar-se na modalidade early decision para uma faculdade que não é sua 1ª opção

Na modalidade early decision – em que você envia sua candidatura a uma escola de forma antecipada, antes das demais – você se compromete a ir para a instituição caso seja aceito, não importantando em quais outras seja aprovado posteriormente. Isso fica determinado, inclusive, em contrato.

O early decison é um dos melhores indicadores de interesse. Contudo, há estudantes que se candidatam nesta modalidade somente para tentar aumentar suas chances de aprovação, mesmo sem ter certeza de que é a melhor opção. Voltar atrás, além de ser antiético e acarretar multa, acabará com a confiança que os admissions officers depositaram em você. Portanto, tenha certeza do que quer antes de optar por esta forma de candidatura!

Veja a reportagem (em inglês) no site About.com

Leia também:
Ex-barbeiro cria projeto para incentivar jovens pobres a estudarem fora
Conheça as 8 universidades que formam a Ivy League

Conecte-se ao Estudar Fora

http://promo.estudarfora.org.br/07de78d376d72cb1d7d3

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas