Mestrado multidisciplinar e bilíngue no Canadá: conheça a Université de Montreal

Universidade de Montreal

Escolher um curso multidisciplinar para fazer um mestrado foi uma das minhas melhores decisões. Formada em jornalismo pela PUCRS em 2009, decidi que queria estudar relações internacionais, pois teria oportunidade de saber mais de economia, antropologia, sociologia, entre outros assuntos.

Não queria fazer um curso que se especializasse somente em uma área, mas em um que abrisse horizontes e novas portas. Nessa perspectiva, encontrei o curso de Estudos Internacionais oferecido pela Universidade de Montreal, no Canada. Como já falava inglês e um pouco de francês, sabia que Montreal seria uma boa opção.

O mestrado oferece cinco modalidades que permitem aos alunos escolher uma área que tenham maior interesse: cultura, conflito e paz; instituições e direito; cooperação,
desenvolvimento e economia; estudos regionais; ou estudos europeus. Eu escolhi a primeira opção e pude fazer disciplinas de todas as áreas que queria, e ainda aprendi um pouco sobre demografia, que me surpreendeu positivamente.

Por que escolher um curso multidisciplinar

A vantagem de fazer um curso multidisciplinar é a de que podemos analisar vários fenômenos mundiais de diferentes perspectivas. Também temos a opção de aprender a metodologia de diferentes disciplinas para depois escolhermos no que iremos nos especializar.

O mestrado em Estudos Internacionais da Universidade de Montreal tem três caminhos possíveis: com dissertação, com estágio ou com um pequeno trabalho de pesquisa. Eu escolhi o primeiro, pois desejava aprofundar em um assunto especifico. No meu caso, era a imigração brasileira em Montreal que me interessava.

Durante o curso, tive a oportunidade de participar de uma jornada de estudos durante três semanas na Bélgica sobre a União Europeia. Esta oportunidade me permitiu fazer muitos contatos e abrir meus horizontes ainda mais. Na volta para Montreal, consegui aproveitar os conceitos de imigração que tinha aprendido e apliquei-os a uma perspectiva brasileira para a minha pesquisa.

Tive colegas que se especializaram em economia, em estudos russos, em políticas populistas, enfim, em diversas áreas. O mais interessante é que tendo a possibilidade de explorar diversas disciplinas, podemos escolher a área com que temos maior afinidade para nos especializarmos por meio de um estágio ou de uma dissertação.

Experiências enriquecedoras

O mais enriquecedor de tudo (e uma das forças da Universidade de Montreal) são as trocas feitas durante as aulas com os estudantes que vêm de todas as partes do mundo. Neste mesmo espírito, outra iniciativa importante são as experiências de imersão, geralmente no verão, oferecidas por algumas universidades entre elas à UdeM.

Nessas imersões o futuro aluno indeciso sobre o caminho a percorrer ou que queira experimentar um determinado curso multidisciplinar “fazer um test drive”. Pode fazê-lo de maneira intensiva, como é o caso da International Summer Academy, podendo assim
também usufruir da convivência e da riqueza multicultural nas discussões e trabalhos em
grupo, dentro de um sistema escolar com influência estadunidense e europeia. Com isso, acaba conhecendo na prática uma parcela de algum programa multidisciplinar, como o de Estudos Internacionais.

O importante é saber que uma perspectiva multidisciplinar enriquece a experiência internacional dos estudantes e, além disso, favorece a capacidade de análise e de síntese que nos permite compreender e acessar a dinâmica de relações internacionais.

Sobre a autora

Carla Simon é de Porto Alegre, formada em jornalismo pela PUC-RS, e tem um mestrado em Estudos Internacionais pela Université de Montréal. Carla mora em Montreal há 4 anos e, atualmente, trabalha como conselheira aos futuros estudantes da UdeM. O objetivo do seu trabalho é facilitar o caminho para aqueles que querem realizar os estudos universitários na UdeM.

*Imagem: Universidade de Montreal, por Carla Simon

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: