Filmes para viajar sem sair de casa durante as férias

O que eu mais desejo

Viajar é ótimo, mas tem um problema: custa caro. Mesmo uma viagem econômica para outro país é algo para o qual é necessário se planejar financeiramente com muita antecedência. Sendo assim, uma alternativa interessante é usar os filmes para conhecer outros países.

E o cinema é uma ótima maneira de ter uma ideia de como as pessoas vivem em locais diferentes. Por isso, montamos uma listinha com filmes divertidos e interessantes que, ao mesmo tempo, retratam de maneira perceptiva os modos de vida de pessoas de outros países.

Para a lista, escolhemos filmes de locais diferentes e estilos diferentes, de maneira a garantir que haja algo aqui para você independente do seu gosto. E escolhemos filmes de diretores locais — afinal, é melhor ouvir sobre o Japão de um japonês do que de um canadense, por exemplo.

Confira:

Medianeras – Buenos Aires

Medianeras é o nome dado, em espanhol, às laterais sem janelas de prédios residênciais. Enormes e lisas, elas representam uma mancha cinza na paisagem urbana. E em meio a uma discussão sobre como tornar a cidade de Buenos Aires mais humana, o filme Medianeras mostra uma comédia romântica sobre duas pessoas que, juntas, superam a solidão que a cidade grande paradoxalmente causa.

Embora o filme trate de questões comuns a todas as metrópoles, a cidade de Buenos Aires é praticamente um personagem do filme. A obra mostra uma série de marcos da capital argentina, e a maneira como os personagens se relacionam também dá a ver um pouco do

Simplesmente Amor – Londres

Você provavelmente já viu essa divertida comédia natalina baseada em Londres. Se não, ainda pode aproveitar o clima de festas para assistir. Love Actually é uma série de histórias românticas entrelaçadas, que vão desde um primeiro-ministro que se apaixona por uma secretária até uma criança que quer impressionar a menina de que gosta na escola.

O tema do amor não é a única coisa que essas histórias têm em comum: a cidade de Londres, com suas paisagens notáveis, também liga todos esses personagens uns aos outros. Muito da comédia do filme também vem de aspectos da cultura inglesa que, como o filme mostra, pode tornar complicado o processo de estabelecer intimidade com outra pessoa.

Frances Ha – Nova York

Imagine viver em uma cidade tão grande e tão cheia de possibilidades que fica praticamente impossível decidir o que fazer. Isso é um pouco do que a cidade de Nova York representa em Frances Ha, um filme sobre uma jovem que não sabe muito bem o que fazer com a sua própria vida na cidade grande.

Além de mostrar a cosmopolita “Big Apple”, o filme também é uma janela para a maneira como os habitantes da cidade se relacionam com o mundo e uns com os outros. Bares e restaurantes escondidos, apartamentos pequenos com aluguéis absurdos e museus de arte underground são alguns temas que aparecem com frequência no filme.

Distrito 9 – Joanesburgo

Um filme de ficção científica no qual extraterrestres chegam à Terra apenas para sofrer segregação em guetos rigidamente controlados pelo governo sul-africano. Esse é Distrito 9, uma obra que fala muito menos de viagens interplanetárias do que de preconceito, discriminação e políticas públicas segregadoras.

É um filme cheio de ação, mas também cheio de percepções sociais profundas sobre a África do Sul, um país que até o fim do século passado tinha a separação racial como parte de sua lei. A obra também retrata com crueza a disparidade social de Joanesburgo, que a abolição do apartheid ainda não conseguiu superar.

O Que Eu Mais Desejo – Japão

O Que Eu Mais Desejo não se passa, como os demais filmes dessa lista, em uma só cidade. Mas é um filme tão fofinho que não seria possível deixá-lo de fora dessa lista. Ele conta a história de dois irmãos que se gostam muito, mas são separados quando os pais se divorciam e vão morar em cidades diferentes do Japão.

Os irmãos então ouvem dizer que se você fizer um desejo no momento em que dois trens-bala se cruzam, ele se realizará. E então planejam uma viagem pelo Japão para se encontrar nesse destino. No caminho, passam por diversas cidades do país e dão uma visão da sociedade local, mostrando seu transporte público, seus hábitos cotidianos e a sua noção de cidadania.

Parasita – Coreia do Sul

A região urbana da Coreia do Sul, com suas desigualdades monstruosas, é o palco de um dos melhores filmes de 2019. Parasita conta a história de um menino pobre da cidade que começa a dar aulas de inglês para uma menina rica, e vai aproveitando todas as oportunidades que vê para trazer mais dinheiro para sua família. É uma premissa cômica até que, na metade, o filme vira algo completamente diferente.

Nesse processo, ele mostra as diferenças que compõem a região urbana sul-coreana. Vemos personagens morando em mansões luxuosas e em porões assustadores, às vezes a pouca distância uns dos outros. O filme também dá uma visão interessante de como a sociedade trata de questões como criminalidade e justiça.

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: