Um projeto: Fundação Estudar

Pós Graduação

O que você precisa saber para cursar uma pós-graduação fora do Brasil

08.08.14

Conheça as principais diferenças entre os cursos de pós no Brasil e no exterior

Conheça as principais diferenças entre os cursos de pós no Brasil e no exterior

Explicações são de Paulo Paes, estudante de PhD na Penn State e colunista do Estudar Fora. Assista a um vídeo exclusivo gravado por ele na universidade!

Olá pessoal, Meu objetivo com a postagem de hoje é esclarecer algumas diferenças importantes sobre os cursos de pós-graduação nos Estados Unidos e no Brasil, além de apresentar como funcionam os programas de mestrado e doutorado do meu departamento aqui na Pennsylvania State University. Primeiramente, é importante destacar que os programas de mestrado e doutorado no Brasil funcionam em série, enquanto aqui nos EUA são paralelos. Isso significa que, enquanto no Brasil o aluno deve primeiro concluir o curso de mestrado para depois iniciar o seu doutorado, aqui já pode começar o doutorado sem que tenha o título de mestre.

Enquanto no Brasil é preciso concluir o curso de mestrado para iniciar o doutorado, nos EUA é possível ir direto para o PhD

Os programas de mestrado no Brasil envolvem, geralmente, duas avaliações: a defesa de projeto de dissertação, após o primeiro ano no programa; e a defesa de dissertação ao fim do curso, que dura em média dois anos. Já o doutorado requer, em média, mais 4 anos de preparação e possui dois exames: a qualificação, com o objetivo de avaliar a metodologia de pesquisa e os resultados preliminares; e a defesa da tese ao final do programa. Nos EUA, os programas de mestrado e doutorado têm diretrizes diferentes de universidade para universidade, e também entre os seus departamentos. Escrevo, portanto, com base no que acontece no departamento de Engenharia Mecânica da Penn State, do qual eu faço parte. Os mestrados nos EUA, geralmente, disponibilizam diferentes planos, em que o aluno deve cumprir a carga horária requerida e pode escolher entre escrever e defender uma dissertação; publicar artigos que serão avaliados por uma banca; ou ainda cumprir os requisitos ao longo do programa de doutorado. Aqui, os alunos de doutorado são submetidos a três grandes avaliações: candidatura, compreensivo e defesa de tese. Eu irei realizar o exame de candidatura (candidacy) no mês de setembro, no qual serei avaliado de forma escrita e oral nos três grandes tópicos das ciências térmicas (transferência de calor, termodinâmica e mecânica dos fluidos). Serão três dias com provas escritas, com duração de quatro horas para cada um dos tópicos. O exame oral será realizado por uma banca formada por professores do departamento em que atuo, e terá duração de 30 minutos para cada tópico. Leia as outras colunas do Paulo Paes O objetivo do exame escrito é verificar se o aluno tem proficiência nas ferramentas fundamentais para resolver os problemas no seu campo de atuação, enquanto no exame oral a banca pode analisar a linha de raciocínio e abordagem do estudante ao resolver um problema.

Nos EUA, os alunos de doutorado são submetidos a três grandes avaliações: candidatura, compreensivo e defesa de tese

Após ser aprovado no exame de candidatura, o aluno é considerado apto ao doutorado (PhD candidate). Caso falhe duas vezes neste exame, ele é retirado do programa e deverá continuar o doutorado em outro departamento ou universidade. Os outros dois exames restantes seguem o mesmo padrão do programa de doutorado brasileiro, onde o exame compreensivo (comprehensive) se assemelha muito ao exame de qualificação. É muito importante se informar nos sites dos departamentos em que você pretende se inscrever, para verificar se o formato de avaliações ao longo do programa vai de encontro às suas expectativas. Há programas de doutorado em outras universidades, por exemplo, em que a candidacy não envolve assuntos ministrados em sala de aula, mas sim assuntos diretamente relacionados à sua pesquisa. Espero que esta postagem tenha ajudado a esclarecer alguns pontos importantes para quem pretende se inscrever para uma pós-graduação no exterior. Boa sorte! Um grande abraço e até a próxima! Assista a seguir um vídeo exclusivo do Paulo, gravado na Penn State: Paulo Paes Leia também: Mestrado em Harvard: alunos buscam soluções para problemas reais Guias exclusivos e gratuitos sobre pós fora em Educação, Políticas Públicas e Saúde Pública  

Conecte-se ao Estudar Fora

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas