Um projeto: Fundação Estudar

Pós Graduação

O que você precisa saber para cursar uma pós-graduação fora do Brasil

08.10.15

8 mestrados de graça (ou quase) no exterior na área de humanas

8 mestrados de graça (ou quase) no exterior na área de humanas

É possível estudar fora sem gastar uma fortuna. Destinos menos tradicionais oferecem mestrados acessíveis em áreas como comunicação e direitos humanos!

Por Beatriz Correa

Se você é de humanas e já pesquisou mestrados no exterior, deve ter notado a diferença gritante que existe entre a oferta de cursos gratuitos e bolsas de estudo na sua área em comparação com profissões mais técnicas, principalmente ligadas a exatas. E não é só lá fora. Aqui no Brasil, demorou também até que o governo lançasse o Cultura sem Fronteiras, inspirado no sucesso do Ciência Sem Fronteiras (CsF).

Foi pensando nisso que o Estudar Fora fez uma lista com oito mestrados de graça (ou quase!) no exterior para quem é da área de humanas:

1. Mestrado em Gestão Intercultural e Comunicação – Finlândia

O programa de dois anos da Universidade de Vaasa recebe 20 estudantes estrangeiros por ano. O curso ensina como as identidades culturais são formadas e como elas estruturam a sociedade atualmente. O mestrando aprende a gerenciar a comunicação intercultural e multilingue, inclusive do ponto de vista ético e filisófico.  O objetivo é capacitar profissionais para serem especialistas em comunicação intercultural, atuando em organizações públicas ou privadas, em cargos como coordenador de projetos internacionais, gerente de recursos humanos, especialista em relações públicas, educador ou pesquisador. As inscrições abrem em janeiro  de 2016. Não há anuidade, mas o estudante tem que pagar uma taxa de 142 euros por ano para a União dos Estudantes. Saiba mais

2. Mestrado em Educação Multicultural e Internacional – Noruega

O programa da Universidade de Ciências Aplicadas de Oslo e Akershus se apresenta como uma alternativa aos mestrados convencionais na área de ciências sociais e pedagogia. O curso é interdisciplinar e indicado a quem quer se aprofundar no tema educação multicultural, tendo como base o sistema de ensino da Noruega. O programa tem duração de dois anos e aceita professores (inclusive de pré-escola) e bacharéis em cursos na área de ciências sociais. Não há anuidade, apenas uma taxa semestral de 730 coroas norueguesas (equivalente a 350 reais). As incrições para estudantes internacionais vão até 15 de dezembro. Saiba mais

3. Mestrado em Estudos Culturais e de Negócios Internacionais – Alemanha

Dar um rumo internacional à carreira profissional, ao mesmo tempo em que aprende uma nova cultura e ganha fluência em um novo idioma. Essa é a proposta do mestrado de dois anos da Universidade de Passau. Se você ama aprender novos idiomas, este curso pode ser para você. O mestrado é em alemão, mas no quarto módulo você terá que escolher dois dos seguintes idiomas – inglês, francês, espanhol, italiano, russo, português, tcheco, polonês, chinês, indonésio, vietnamita – dependendo da cultura que você deseja se aprofundar. O mestrando aprende como desenvolver competências-chave para se tornar um bom gestor de projetos e um bom solucionador de problemas. As oportunidades de atuação são muitas: vendas, marketing, relacionamento com clientes, relações públicas, recursos humanos, desenvolvimento organizacional. As inscrições abrem duas vezes ao ano: de janeiro a abril e de julho a outubro. O curso é gratuito. Saiba mais

4. Mestrado Interdisciplinar em Estudos Interamericanos – Alemanha

A Universidade de Bielefeld, na Alemanha, tem um mestrado inteirinho voltado para o Novo Mundo. O objetivo do curso é, justamente, entender as singularidades do nosso continente: da América Latina à Anglo-Saxônica. O programa de dois anos tem uma abordagem interdisciplinar, com matérias como sociologia, literatura, comunicação, história e ciências políticas. O diploma capacita profissionais para trabalhar em diversas áreas da comunicação – como relações públicas, relações institucionais e jornalismo. Inglês e espanhol são obrigatórios. Alemão não é exigido, mas é uma vantagem, já que estudantes terão que aprendê-lo e fazer testes de proficiência ao longo do curso. O mestrado é gratuito, sendo cobrada uma taxa de 235 euros por semestre. As inscrições vão até 15 de janeiro para o curso que começa no verão (no hemisfério norte) e 15 de julho para o que começa no inverno. Saiba mais

5. Mestrado em Direitos Humanos e Multiculturalismo – Noruega

Esse mestrado da Universidade de Buskerud e Vestfold é único na Europa, por abordar Direitos Humanos e Multiculturalismo ao mesmo tempo. O curso, com duração de dois anos, é oferecido pela Faculdade de Ciências Humanas e Educação, na cidade de Drammen. Os direitos humanos protegem a diversidade multicultural? Oferecem base legal suficiente para prevenir práticas consideradas inaceitáveis por grupos minoritários? Essas são algumas questões que o mestrando irá analisar, se debruçando sobre o conceito de dignidade humana e como aplicá-lo a determinadas religiões e ideologias, do ponto de vista político, ético e jurídico. Debate este que se torna extremamente atual, no momento em que a Europa vive a maior crise de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial. As inscrições vão até 15 de janeiro. é gratuito. Saiba mais

6. Mestrado em Jornalismo Científico – França

Voilà! Essa pode ser a sua chance de estudar na França. A Universidade de Lille oferece um mestrado de dois anos para jornalistas. O objetivo é capacitar profissionais para trabalhar com dados. Em sala, os estudantes discutem como abordar informações técnicas e trazê-las para o nosso cotidiano sob uma nova perspectiva. Ou seja: traduzir a linguagem técnica para o grande público. O curso é em francês. A mensalidade é bastante inferior a cobrado por outros cursos de pós-graduação: são 256 euros por ano, mais 215 euros de seguro social. As incrições abrem em junho. Saiba mais

7. Mestrado em Aprendizagem e Comunicação em Contextos Multilíngues e Multiculturais – Luxemburgo

O nome é longo, mas o objetivo do curso é bastante simples: estudar como a diversidade cultural e linguística influencia o ensino e a comunicação. Com duração de dois anos, o programa da Universidade de Luxemburgo é trilíngue, com aulas em inglês, francês e alemão. Você só precisa falar dois dos três idiomas para ser aceito, mas é recomendável conhecimentos básicos no terceiro (a própria universidade oferece esses cursos). O mestrado é interdisciplinar e abre possilidades de carreira nas áreas de educação, turismo e jornalismo. Também pode ser usado como curso preparatório para aqueles que buscam um PhD em disciplinas como antropologia, sociologia ou sociolinguística. O mestrado custa apenas 200 euros por semestre. Saiba mais

8. Mestrado em Semiótica – Estônia

A Universidade de Tartu, na Estônia, abriga um conceituado centro de estudos em semiótica. O curso, com duração de dois anos, oferece uma base teórica para aplicar conceitos da semiótica a várias disciplinas. São três módulos centrais: semiótica cultural, biosemiótica e sóciossemiótica. O curso é em inglês. O mestrado é recomendado para profissionais de diversas áreas que fazem uso da semiótica, como publicitários, jornalistas, tradutores e designers. As inscrições abrem em abril. Não há anuidade. Saiba mais

 

Mas qual é a diferença entre um mestrado no Brasil e no exterior? Descubra no vídeo abaixo:

*Foto: Universidade de Lille (University of Lille Nord de France) / Crédito: divulgação

Leia também:
Guia online e gratuito sobre pós-graduação no exterior
Seis países em que é possível estudar de graça – ou quase
Universidade de Cambrigde oferece bolsas de estudo para pós-graduação

Conecte-se ao Estudar Fora

Leia Mais

estagiários da Microsoft comemorando
impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT