Um Projeto: Fundação Estudar
programa da OMS

Programa da OMS seleciona profissionais de saúde para conferência em Londres

Por Priscila Bellini
26.06.2018

Programa especial da Organização Mundial de Saúde (OMS) levará três profissionais de saúde para conferência Women Leaders in Global Health. Para se inscrever, é necessário submeter ideias que aumentem a presença feminina na área. Mas é preciso correr: inscrições vão até 1 de julho!


Todos os anos, a Organização Mundial de Saúde seleciona profissionais experientes da área para uma fellowship de um ano de pesquisa clínica. Entretanto, a instituição observou que o número de inscrições feitas por mulheres tende a ser menor. A partir daí, a OMS criou outra iniciativa, para encontrar propostas que aumentem a presença feminina nesse programa de pesquisa.

Para ter uma ideia, as taxas de participação dessa fellowship oscilaram entre 16 e 24% nos últimos quatro anos. O desafio é elaborar, portanto, uma ideia executável que encoraje mais mulheres a se candidatarem já na próxima edição.

Como funciona a iniciativa da OMS

Serão selecionadas, no mínimo, três profissionais de saúde que submetam propostas para solucionar o problema. Essas semifinalistas embarcarão, então, para Londres e apresentarão suas ideias na conferência Women Leaders in Global Health. As inscrições devem ser feitas até 1 de julho e o evento em si acontece em novembro.

Durante a conferência, as profissionais selecionadas recebem apoio financeiro completo. Ou seja, estão cobertas despesas com acomodação, passagens aéreas e um valor diário para despesas no local.

Como se inscrever

A candidatura tem um formato simples. Primeiro, é necessário escrever uma proposta, em inglês, com extensão de até 500 palavras. O arquivo deve ser enviado até a data limite, pelo site da iniciativa. Depois disso, as melhores ideias serão escolhidas para o evento em Londres.

Os projetos serão avaliados levando em conta sua abordagem inovadora e possibilidade de implementação pelo programa da OMS.

Há alguns obstáculos já identificados pela OMS e que podem servir como ponto de partida para as candidatas. Por exemplo, a dificuldade das mulheres de levar seus dependentes consigo durante o período da fellowship e de obter vistos para eles.

Para saber mais sobre o programa e fazer a inscrição para o desafio, basta acessar o site.

,

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d