Um projeto: Fundação Estudar

Graduação

O que você precisa saber para cursar uma graduação fora do Brasil

25.03.14

O que NÃO dizer na entrevista de admissão

perguntas que universidades fazem

Muitos estudantes podem ser confrontados com a seguinte pergunta: "O que você faz no seu tempo livre?" Saiba quais são as melhores e piores respostas

Muitas universidades estrangeiras costumam incluir no processo de seleção para a graduação uma entrevista com um profissional do escritório de admissões. Se isso acontecer com você, é bem provável que ouça a seguinte pergunta: “O que você faz no seu tempo livre?” A questão — acredite! — não é uma pegadinha e não tem resposta “certa”.

A instituição quer realmente saber como você ocupa o seu tempo quando não está estudando. Isso porque a seleção no exterior é feita de forma holística e considera, além da vida acadêmica do candidato, seu perfil pessoal. “Com essa pergunta, o entrevistador quer apenas conhecê-lo melhor”, afirma Allen Grove, especialista de admissões do portal About.com. “Fazer faculdade é muito mais do que ir às aulas, e os estudantes mais atrativos e com maior potencial são justamente aqueles que fazem coisas interessantes no tempo livre”, afirma. O fato de não haver respostas-padrão para tal pergunta não significa, no entanto, que você possa dizer qualquer coisa.

Veja a seguir uma lista divertida elaborada por Allen Grove para o portal About.com sobre as PIORES respostas que podem ser dadas à pergunta “O que você faz no seu tempo livre?”:

1. Gosto de sair com os meus amigos. A questão aqui é o que você faz quando sai com esses amigos. Vocês fazem algo interessante ou apenas ocupam espaço no mundo?

2. Uso meu tempo livre navegando no Facebook.

Não há dúvidas de que essa resposta é verdadeira para muitos, mas não soa bem aos ouvidos da universidade. Muito tempo no Facebook pode denotar falta de foco e baixo rendimento acadêmico.

3. Gosto de ir a festas. Ótimo. Mas tome cuidado ao responder isso, já que essa “atividade” em excesso também pode implicar um baixo desempenho acadêmico.

4. Assisto televisão. Muitos de nós assistimos televisão em excesso, mas, por favor, tenha bom senso e não enfatize esse fato ao escritório de admissões.

5. Não tenho tempo livre. Ok, isso pode até ser verdade se você for um estudante altamente engajado. De qualquer forma, essa é uma resposta evasiva. Pense, então, no que você gostaria de fazer se tivesse tempo livre.

6. Leio clássicos romanos. Sério mesmo? Tudo bem que as universidades procuram bons alunos, mas elas também querem encontrar pessoas que façam algo além de estudar.

As boas respostas

A melhor resposta é aquela que mostre que você tem interesses que vão além da sala de aula. “De forma geral, não importa muito o que você faz, desde que faça alguma coisa”, brinca Allen. Você gosta de fazer escaladas? Surfar? Pintar? Desenhar? Colecionar miniaturas? Aventurar-se na cozinha? Participar de um grupo de teatro amador? Pense nos seus hobbies. Lembre-se: essays, cartas de recomendação e históricos escolares irão provar que você é um bom aluno. Agora, se a universidade lhe fizer essa pergunta, o objetivo é verificar se você é uma pessoa interessante e que irá enriquecer o campus universitário.

Leia também:
Entenda o processo de seleção para universidades no exterior

Conecte-se ao Estudar Fora

http://promo.estudarfora.org.br/07de78d376d72cb1d7d3

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas