Um Projeto: Fundação Estudar

Financial Times divulga seu 1º ranking de MBAs online

Por Lecticia Maggi

O jornal britânico Financial Times (FT) divulgou neste mês, pela primeira vez, um ranking de MBAs online. A lista engloba 15 escolas de negócios de quatro países, consagrando em primeiro lugar a IE Business School, da Espanha. Estão no pódio também, em ordem, a Warwick Business School, do Reino Unido, e a Northeastern University: D’Amore-McKim, dos Estados Unidos. Na 15ª quinta e última posição, uma agradável surpresa: a Centrum Católica, do Peru, única instituição latino-americana da lista. Confira o ranking completo AQUI. Segundo a publicação, o ranking surge para reconhecer que os cursos a distancia representam, cada vez mais, alternativas de qualidade ao ensino presencial. “Embora programas de ensino a distância não sejam uma novidade, os avanços tecnológicos estão permitindo que um número sem precedentes de alunos tenha acesso a tais cursos hoje”, diz o jornal. Critérios — Foram levados em consideração no levantamento alguns dos critérios adotados para análise de cursos presenciais, como progressão de carreira (e salarial) dos alunos após a formatura, percentual de mulheres e de professores internacionais no corpo docente, assim como de profissionais com doutorado. Por se tratar de programas online, foram acrescidos também outros dois critérios: qualidade de entrega do curso (aulas, materiais de apoio e provas) e nível de interação entre participantes e professores. Diferenças para os cursos presenciais A grande vantagem do curso online em relação ao presencial é a flexibilidade de horários, que permite aos participantes conciliá-lo com estudos, trabalho, família e vida social. No entanto, engana-se quem acredita que essa é uma “rota fácil” para obter o título de mestre: recomenda-se que o aluno dedique no mínimo de 15 a 20 horas por semana aos estudos. O levantamento feito pelo Financial Times mostra que o perfil dos estudantes diferente bastante entre as duas modalidades de MBA. No online, eles são selecionados principalmente com base em sua experiência profissional, o que eleva bastante a idade-média da turma. Um terço dos estudantes de MBA online entrevistados para a elaboração do ranking disse que já havia ocupado algum cargo de alta gerência, contra apenas 15% dos ouvidos na pesquisa de MBAs presenciais. Leia também: Especialização, MBA ou mestrado acadêmico: o que fazer?

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo