Inicio As obras que entram em domínio público em 2022: lista inclui 2 prêmios Nobel e até o Ursinho Pooh

As obras que entram em domínio público em 2022: lista inclui 2 prêmios Nobel e até o Ursinho Pooh

0
As obras que entram em domínio público em 2022: lista inclui 2 prêmios Nobel e até o Ursinho Pooh
Ilustração de Ernest Howard Shepard para a primeira edição do livro O Ursinho Pooh

Todo mês de janeiro é época de conhecer quais obras entram em domínio público dentro e fora do Brasil. Por aqui e em todos os países signatários da chamada Convenção de Berna — evento onde foi estabelecido o reconhecimento do direito autoral — a obra se torna pública, livre e gratuita após setenta anos o falecimento do autor ou do último co-autor em casos de produções coletivas.

Para algumas obras audiovisuais, músicas gravadas, livros e textos publicados, as datas para entrarem em domínio público pode variar para menos de 70 anos da morte do autor. No Brasil, por exemplo, uma obra audiovisual se tornam públicas após 70 anos de sua primeira divulgação. Confira a seguir alguns dos principais livros, filmes e composições que se tornaram públicas no início deste ano.

Em 2022, obra de diversos artistas renomados completam 70 anos da primeira publicação. Entre os nomes que aparecem na lista de 2022, estão Ernest Hemingway, Franz Kafka, Agatha Christie, William Faulkner e Bertolt Brecht. Aparecem também 2 vencedores do prêmio Nobel de literatura, Sinclair Lewis e André Gide, e a primeira edição do famoso livro Ursinho Pooh, escrito por Alan Alexander Milne.

 

Prêmios Nobel

Obras de Sinclair Lewis

O escritor Sinclair Lewis.

2021 marcou os 70 anos da morte do escritor e dramaturgo norte-americano Sinclair Lewis. Nascido em Minessota, Estados Unidos, Lewis era formado em literatura pela Universidade Yale e escreveu livros de sucesso da primeira metade do século XX, como “Não vai acontecer aqui” e “Babbitt”.

O autor recebeu alguns dos prêmios mais importantes da literatura, entre eles o Nobel de 1930 e um Pulitzer de Melhor Obra de Ficção em 1925 com o livro “Doutor Arrowsmith”. Nas obras, o escritor faz críticas inteligentes sobre materialismo e sistema econômico norte-americano.  O site da Universidade de Yale mantém uma página em homenagem ao autor (disponível aqui).

 

Obras de André Gide

O escritor André Gide.

Outro autor que completou 70 anos da morte em 2021 foi o escritor francês André Gide, vencedor do Nobel de Literatura em 1947. Entre os livros mais famosos de Gide, estão “O Imoralista”, “Os moedeiros falsos” e “Corydon”. Filho de um professor de Direito da Universidade de Paris, ele também era um ativista defensor dos direitos de homossexuais e gay assumido no início do século passado – período em que a comunidade LGBTQIA+ era ainda mais perseguida.

No livro “Corydon”, ele reuniu um conjunto de ensaios em que discute a naturalidade e forte presença de homossexuais em diversas civilizações ao longo da história da humanidade.

 

Livros

Alan Alexander Milne – Ursinho Pooh 

Do lado esquerdo, a edição inglesa do livro The Complete Tales of Winnie-the-Pooh. À direita, o escritor Alan Alexander Milne (fonte: wikicommons).
Milne com o filho Christopher e o urso de pelúcia que deu origem ao famosos Ursinho Pooh.

Um dos ursinhos mais famosos dos desenhos animados, o Ursinho Pooh foi criado pelo escritor britânico Alan Alexander Milne, que lançou a primeira edição do livro em 1926. Ambientada na Floresta de Ashdown, em Sussex, Inglaterra, as histórias contam a relação do menino Christopher Robin com seus amigos, o urso Pooh, o tigre chamado Tigrão, o leitão chamado Leitão, o coelho chamado Coelho, o burro chamado Ió, a coruja chamada Corujão e o canguru filhote chamado Guru.

Antes de entrar para domínio público, os direitos sobre a obra eram da Disney. O personagem principal Pooh e alguns dos amigos animais são baseados em bonecos de pelúcia que pertenciam ao filho de Milne, Christopher Robin Milne.

Os bonecos de pelúcia que deram origem aos personagens (da esquerda para a direita, de cima para baixo, em ordem) Guru, Pooh, Ió e Tigrão. Fonte: Wikicomons.

 

Ernest Hemingway – O sol também se levanta

A capa da edição brasileira de “O Sol Também se Levanta, da Editora Bertrand. À direita, Hemingway de farda em Milão, em 1918.

A obra “O sol também se levanta” (no original: The Sun Also Rises), do escritor norte-americano Ernest Hemingway (O Velho e o Mar, Por Quem os Sinos Dobram), é um dos livros mais famosos que entram em domínio público neste ano. Ambientada em París no período pós-primeira Guerra Mundial, o livro conta a história de Jacob Barnes e um grupo de expatriados ingleses e estadunidenses.

 

Franz Kafka – O Castelo

A capa da edição brasileira de “O Castelo” da Editora Cia. das Letras. À direita, retrato de Kafka tirado por Sigismund Jacobi.

 

A novela “O Castelo” (no original: Das Schloss), do escritor Austro-húngaro Franz Kafka foi lançada em 1926. A obra é um dos escritos inacabados de Kafka, que morreu antes de poder finalizá-la. O livro conta a história do personagem “K” que, ao chegar em uma vila, enfrenta dificuldades para acessar às autoridades locais que governam a população a partir de um castelo particular.

O livro têm um enredo bastante comum aos leitores de Kafka, e debate a relação entre sociedade civil, burocracia e Estado. Durante a formação, o escritor cursou direito na Karl-Ferdinands-Universität, atual Karls-Universität, em Praga, após abandonar o curso de química na mesma instituição.

Agatha Christie – O assassinato de Roger Ackroyd

A capa da edição brasileira de “O assassinato de Roger Ackroyd” da Editora Globo Livros. À direita, retrato de Agatha Christie em 1910.

Uma das obras mais famosas da escritora inglesa Agatha Christie, “O assassinato de Roger Ackroyd” (Do original, The Murder of Roger Ackroyd), conta a história do assassinato do milionário Roger Ackroyd, esfaqueado com uma adaga tunisiano. O crime é o terceiro de uma série de assassinatos que acontecem na vila King’s Abbott, que passam a ser investigados pela protagonista, Caroline Sheppard.

A obra foi inicialmente publicada em 1926 e considerada a melhor novela escrita da história em 2013, pela Associação British Crime Writers. O livro é considerado um cânone entre do gênero romance policial e uma das obras que fez com que Christie recebece o apelido de “Rainha do Crime”.

 

William Faulkner – Soldiers’ Pay

A capa da 1ª edição de “Soldier’s Pay”, da Editora Boni & Liveright. À direita, retrato de Faulkner em 1954, fotografado por Carl Van Vechten.

O livro de estreia do escritor americano William Faulkner entra em domínio público em 2022. Publicado pela editora Boni & Liveright em 1926, até hoje não foi possível confirmar se a história foi, de fato, escrita por Faulkner. Os registros confirmam apenas que foi a primeira obra publicada pelo autor.

O livro conta a história de um aviador gravemente ferido durante a Primeira Guerra Mundial, que volta para a casa em uma pequena cidade da Georgia, Estados Unidos, e tem que enfrentar as mudanças na vida pessoal e limitações físicas do pós-guerra. Até o momento, a obra não tem edição publicada no Brasil.

 

[Teatro] Bertolt Brecht – Man Equals Man

Bertolt Brecht

A peça “Man Equals Man”, do poeta e dramaturgo alemão Bertolt Brecht é uma das obras que pertencem à primeira fase da carreira do escritor. Inspirada nos desenvolvimentos sociais e políticos da URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas), a obra fala sobre a transformação forçada de Galy Gay em um modelo ideal de soldado e como é possível modelar e transformar a personalidade de uma pessoa.

 

Filmes

Friedrich Wilhelm Murnau – Fausto

F. W. Murnau

Fausto é uma das obras mais famosas do cineasta Friedrich Wilhelm Murnau, um dos nomes mais importantes do movimento expressionista alemão. O filme é baseado no filme homônimo escrito por Goethe, e conta a história da lenda alemã sobre o alquimista e cientista Dr. Johannes Georg Faust, que, desiludido com o mundo, faz um pacto com um demônio. O filme está disponível na íntegra e com legendas em português no Youtube.

 

Victor Sjöström – A Letra Escarlate

Victor Sjöström à esquerda ao lado de Charles Chaplin.

Outro filme que entra em domínio público é baseado no livro “A Letra Escarlate” (do original The Scarlet Letter), do escritor Nathaniel Hawthorne, e dirigido pelo cineasta suéco Victor Sjöström. A história conta a tragédia de Hester Prynne, uma jovem que tem uma filha sem estar casada, que vive na cidade de Salem, Estados Unidos, em 1850.

O filme homônimo é considerado a melhor adaptação do livro de Hawthorne e foi produzido pela produtora MGM em 1926, pertencendo atualmente ao arquivo da UCLA. O filme está disponível na íntegra no Youtube.

George Fitzmaurice – O Filho do Sheik

Da esquerda para a direita:
Rudolph Valentino, a atriz Vilma Banky e o diretor George Fitzmaurice durante a filmagem de O Filho do Sheik.

O filme mudo “O Filho do Sheik” (do original The Son of the Sheik), dirigido pelo cineasta francês George Fitzmaurice, é baseado no romance homônimo da escritora britaânica Edith Maude Hull. O filme é estrelado pelo italiano Rudolph Valentino, apelidado de “Latin Lover”, um grande ator do cinema mudo que morreu no mesmo ano em que a obra foi lançada. O filme também está disponível na íntegra no Youtube.

 

Música

Obras do compositor austríaco Arnold Schoenberg

Arnold Schoenberg

Considerado um dos compositores mais influentes do século XX, Arnold Schoenberg pertenceu à corrente do expressionismo alemão. Por ser judeu, o músico foi alvo do Partido Nazista durante a Segunda Guerra Mundial e teve as obras proibidas no país naquele período. Para fugir dos nazistas, Schoenberg se mudou para os Estados Unidos e se tornou cidadão americano em 1941.

A seguir, uma das obras mais renomadas do compositor “Pierrot Lunaire” executada pela Orquestra Sinfônica de Chicago.

 

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo:

Leia