Um projeto: Fundação Estudar

Intercâmbio

O que você precisa saber para ter uma experiência de estudos em outro país

01.10.15

Vale a pena fazer intercâmbio logo após a faculdade?

Vale a pena fazer intercâmbio logo após a faculdade?

Muitos jovens têm receio de se afastar do mercado e depois não conseguir um bom trabalho. Veja dicas para viajar sem se desconectar da sua área de formação!

Quando aceitei o convite para escrever no Estudar Fora e no Canal do Intercâmbio, o que mais me empolgou foi a oportunidade de poder compartilhar com um montão de gente a experiência que tive durante meu intercâmbio e, claro, aprender muito com os leitores.

E falando nisso, recebi um e-mail de uma leitora, a Camilla, que é estudante de jornalismo. Na mensagem, ela contou que está decidida a fazer o programa de Aupair nos Estados Unidos, mas está mega indecisa se embarca na aventura logo após se formar ou não, pois tem receio de ficar muito tempo fora da área e, consequentemente, ter dificuldade de se recolocar no mercado quando voltar, ainda mais tendo só estágios como experiência. Hoje, vou dividir com vocês o que eu falei para ela.

Dois pontos me ajudaram a ficar um pouco mais tranquila em relação ao meu futuro profissional e a suprir o meu ‘afastamento’ do mercado: fazer cursos relacionado à minha área (jornalismo) e continuar com o freela

Assim como a Camilla, quando decidi fazer intercâmbio, muitas e muitas dúvidas rondaram minha cabeça. E aí, como vai ser quando eu voltar? Será que vou conseguir emprego fácil, ainda mais na área de jornalismo que é tão cruel? Se você não estiver sendo vista, você é logo esquecida. Eu estaria me ausentando sem nunca ter sido efetivada. Só tinha no meu currículo estágios e dois freelas (trabalhos temporários), mas resolvi arriscar. Segui meu coração e meu sonho. O sonho de morar em outro país.

Apesar de ter estudado inglês por 10 anos aqui no Brasil, não me sentia preparada. Sabia que precisava aprimorá-lo, pois o mercado exige isso. Então, resolvi unir o útil ao agradável e fui em busca do meu sonho. Dois pontos me ajudaram a ficar um pouco mais tranquila em relação ao meu futuro profissional e a suprir o meu “afastamento” do mercado: fazer cursos relacionado à minha área (jornalismo) e continuar com o freela.

Fiz dois intercâmbios. No primeiro, fiquei sete meses e no segundo, onze. Durante o tempo em que estive nos Estados Unidos, mantive o trabalho de edição e revisão de texto que prestava para uma empresa aqui do Brasil, e que conseguia fazer via internet. Então, de certa forma, ainda estava no mercado.

Fazer cursos relacionados com a área de comunicação também foi muito importante. Aproveitei a bolsa de estudos que o programa de Aupair dá e fiz alguns cursos bem interessantes na faculdade. Aliás, falarei deles no próximo artigo. Aproveitei também que as escolas dão aulas de idiomas a preços mais acessíveis e até mesmo de graça e fiz espanhol e inglês, focando na preparação para o TOEFL.

No caso do e-mail da Camilla, disse a ela que, se quisesse seguir na área de televisão, talvez ficar tanto tempo fora da telinha atrapalhe um pouco de fato, mas se ela quiser seguir para a área de internet, redes sociais e comunicação empresarial, essa experiência pode agregar e muito.

Tente realizar alguma atividade na sua área, nem que seja voluntariamente, só para se manter em contato com o mercado

Eu sei, não é tão fácil assim escolher nosso destino. Porém, é bom ouvir o coração de vez em quando. Foi o que eu fiz. Não me arrependo. Quando voltei do intercâmbio, um mês depois estava empregada em uma agência de comunicação. Entrei como temporária, virei assistente, analista e cheguei à coordenadora de mídias sociais. Dois anos depois, fui para um e-commerce, que faz parte de um grande grupo europeu, onde estou até hoje e ocupo a posição de gerente de comunicação. Posso dizer que o inglês fez muita diferença. No início, a empresa estava na Alemanha e nossa comunicação era toda em inglês.

Por isso, minha principal dica é: se puder, durante o intercâmbio, sobretudo o de longa duração, tente realizar alguma atividade relacionada na sua área, nem que seja voluntariamente, só para se manter em contato com o mercado. E claro, se conseguir fazer cursos que tenham a ver com o que você faz, melhor ainda. Assim, além de aprimorar o idioma, você se atualiza e enriquece seu currículo.

_____________________________________________________________________

Marília Maciel é jornalista e dona do blog Entre Andanças e Balanças, onde mistura os prazeres de comer e viajar com as brigas com a balança. A coluna dela é realizada em parceria com o Canal do Intercâmbio, site que fornece informações e dicas sobre oportunidades de trabalho e estudo no exterior.

Leia também:
Guia gratuito com 10 destinos fora do comum para fazer intercâmbio
Concurso cultural levará estudante para conhecer a Dinamarca
9 guias online e gratuitos para quem quer estudar fora do Brasil

Conecte-se ao Estudar Fora

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas